O que fazer na quarentena

Ficar em casa para muitos é uma tortura, porém, em tempos de quarentena é necessário o afastamento. Nesse período de isolamento social, é preciso se reinventar e redescobrir maneiras de viver. Não deixe o medo dominar você, dias melhores estão por vir, siga com fé. Pensando nisto, abaixo segue uma lista 05 coisas para fazer nesta quarentena.:
Aprenda a preparar uma sobremesa
A maioria das pessoas que sabem cozinhar não sabem fazer sobremesas. Acredite, para muitos fazer um pudim, um mousse, ou, ate mesmo, um brigadeiro de panela é algo de outro mundo. Não perca essa oportunidade, esse é um bom momento. Dá uma olhada em um livro ou as caixas de leite condensado e creme de leite, que sempre veem com boas receitas. Faz uma busca na internet, o EM TEMPO tem dicas maravilhosas.
Arrume o guarda – roupa
Fala a verdade, você nunca tem tempo de arrumar o guarda-roupa. Existem peças em desuso, outras descosturadas, e ainda aquelas que você guarda para quando emagrecer ou engordar. Limpa tudo, tem muita gente aguardando essa doação de roupas. Ou, se preferir, pode montar novos looks com o que você tem guardado.
Leia de tudo
Pode aproveitar o tempo para ler livros, revistas, blogs ou artigos. Tem curiosidade sobre algum assunto, é sempre bom ler, estudar e entender. A leitura nos leva ao conhecimento e a altas conversas.
Faça cursos on-line
Aperfeiçoe o conhecimento. Quer aprender a se maquiar, cozinhar, fotografar ou qualquer outra coisa. Hoje, com a tecnologia avançada, existem ferramentas que possibilitam fazer um curso em sair de casa. Então, aproveita e faz aquela pós dão desejada que está prometendo há anos.
Cuide-se
Nunca esqueça de você. Faça as unhas, pinte, corte ou hidrate o cabelo, coma e durma bem. Uma esfoliação corporal é uma ótima pedida também. Não esqueça de beber água, a hidratação é essencial. Ligue para quem você ama ou faça um vídeo chamada. Tudo vai passar, emane positividade.

Localização do Imóvel

Além da quantidade de quartos, número de vagas, área de lazer, entre outros aspectos, a localização do imóvel é também um dos pontos mais importantes na hora de comprar. Nesse momento, o comprador deve levar uma série de fatores em consideração, de forma que a nova moradia atenda suas necessidades, proporcionando mais praticidade e comodidade em sua vida. Confira abaixo os principais pontos na hora de escolher a localização do seu imóvel:

Segurança:

A segurança é um fator fundamental na escolha de um imóvel. Nesse sentido, os bairros bem localizados tendem a ser mais seguros, pois contam com policiamento ostensivo e, em alguns locais, até com proteção particular.

Valorização:

Todo mundo quer morar em um imóvel bem localizado. Desse modo, a procura por bons bairros é maior do que a oferta. Além disso, esses locais têm um crescimento constante, com o surgimento de novos estabelecimentos comerciais, escolas, parques etc..

Assim, é natural que as propriedades acabem sendo cada vez mais valorizadas com o tempo, sendo também um excelente investimento.

Comodidade:

Ter comodidade é um dos itens essenciais na hora de escolher a localização do seu imóvel. Isso quer dizer que você pode fazer várias atividades sem a necessidade de enfrentar trânsito, grandes deslocamentos ou ter dificuldade em estacionar o carro, já que você pode fazer muitas coisas a pé. Até mesmo o lazer fica mais facilitado, pois há diversas opções de bares e restaurantes bem próximos da sua nova moradia!

Estrutura:

A localização do imóvel também está diretamente relacionada à infraestrutura do bairro. As regiões bem localizadas contam com boas condições das ruas e calçadas, iluminação pública, sinalização, transporte, arborização e área de lazer.

Embora sejam parecidas e estejam correlacionadas, a simulação de financiamento e a análise de crédito não são a mesma coisa. A confusão entre elas é comum, principalmente quando é preciso contratar um serviço como esse pela primeira vez.

Simular um financiamento e fazer a análise de crédito são importantes ações aliadas de quem está querendo dar um passo importante na vida em busca da sua casa própria, mas não tem disponível o valor total necessário para fazer a compra à vista.

O alto índice de inadimplentes e negativados no Brasil faz com que as empresas que oferecem créditos sejam mais criteriosas na hora de liberar um valor e conceder o crédito para a compra de um imóvel.

No entanto, não é preciso se preocupar. Neste post você vai entender melhor cada uma dessas modalidades para se planejar antes de contratar um financiamento do jeito certo. Um pouco de organização e preparação facilita o processo, afinal, o crédito é uma ferramenta importante para mover nossa economia, mas deve ser utilizado com cuidado. Acompanhe e saiba mais sobre o assunto!

QUANTO VOCÊ PODE PAGAR?

Antes de buscar um banco ou uma financeira para tentar um financiamento, você precisa ter o orçamento pessoal organizado para saber o quanto da sua renda mensal poderá ser comprometido no pagamento de uma parcela na compra de um imóvel.

O trabalho é simples: anote diariamente seus gastos, mesmo aquele cafezinho na padaria. Ao final do mês, você consegue ver a quantia que gastou e o quanto é possível destinar para a compra de um imóvel.

O QUE É O FINANCIAMENTO?

O ato de financiar uma compra é adquirir um bem ou serviço prometendo um pagamento parcelado ao credor com acréscimo de juros ao valor final. A diferença principal para um empréstimo é que o dinheiro disponível para o cliente deve ter uma destinação comprovada.

São vários os tipos de financiamento, feitos por bancos privados e públicos ou outros agentes financeiros. O primeiro passo para conseguir um financiamento é fazer uma simulação, e depois partir para a etapa seguinte, que é a análise do crédito.

QUAIS OS TIPOS DE FINANCIAMENTO?

Atualmente existem duas modalidades de financiamento. A primeira considera a tabela Price, que traz parcelas com valor fixo. Já a segunda é feita pelo Sistema de Amortização Constante, conhecido como SAC. Nessa opção as parcelas diminuem ao longo do tempo.

Existem bancos que oferecem financiamento imobiliário com as duas opções, enquanto outros optam apenas por uma modalidade. Por isso, é fundamental que você faça simulações de financiamento em mais de uma instituição financeira. Dessa forma, é possível comparar as condições oferecidas por cada banco e ter a certeza na hora de escolher a que melhor se adequa ao seu orçamento.

É importante ressaltar que, independentemente da modalidade de financiamento contratada, toda e qualquer parcela será sempre corrigida pelas taxas de inflação, de modo que o seu financiamento trará reajustes anuais. Por isso, nunca deixe de conferir no seu contrato de financiamento quais são as datas de reajuste. Dessa forma, você se prepara melhor e evita surpresas desagradáveis.

O QUE É SIMULAÇÃO DE FINANCIAMENTO?

A simulação de financiamento é uma forma de saber, antes de fazer a análise de crédito, quais condições de pagamento você terá para quitar o valor do bem a ser comprado. As informações mais importantes adquiridas em uma simulação de financiamento são:

  • o número total de parcelas a serem pagas;
  • o valor total de quitação do bem;
  • o valor de cada prestação;
  • os juros embutidos.

Geralmente, quem faz uma simulação de financiamento está sozinho e não tem o acompanhamento de um profissional da área — deixando, assim, de se considerar informações importantes para aumentar a precisão do cálculo para o empréstimo.

Caso opte por estudar sozinho essas condições, você terá um resultado que demonstra apenas os valores aproximados das parcelas, bem como do número de prestações equivalentes. Ou seja, não há tanta precisão na simulação do financiamento.

No entanto, contar com a ajuda de um especialista é importante para que você tenha uma ideia do que pagará e como — o que ajuda você a se preparar antes de fazer uma análise de crédito.

POR QUE SIMULAR FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO?

Não é preciso dizer que um financiamento imobiliário corresponde a uma despesa de grande porte para qualquer família que opta por essa modalidade na hora de adquirir um imóvel. Afinal de contas, quem escolhe financiar uma casa ou apartamento sabe que não tem condições imediatas de comprar o imóvel à vista.

Nesse sentido, o ato de simular o financiamento do seu imóvel é um importante passo de planejamento no caminho de uma decisão tão significativa na vida financeira de uma família.

Com o simulador de financiamento, é possível conhecer os detalhes de cada parcela, analisando os juros que incidem em cada uma delas e as possibilidades de quitação antecipada. Outro ponto importante é conhecer, também, as penalidades decorrentes de atrasos e as alternativas de negociação.

Vale ressaltar que, independentemente do banco escolhido, as parcelas jamais poderão ultrapassar o limite de 30% do seu orçamento mensal. Por isso, é fundamental realizar a sua simulação levando em consideração a renda familiar!

Outro motivo para fazer a sua simulação de financiamento é desviar das burocracias dos bancos.  Com uma simulação em mãos, você já sabe exatamente quais os documentos necessários, quais as condições de financiamento e o que você deve fazer daqui para a frente. Isso já faz com que várias etapas sejam eliminadas, aproximando você do sonho da casa própria.

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS FORMAS DE SIMULAR UM FINANCIAMENTO?

Veja, a seguir, quais são as principais maneiras de fazer uma simulação do seu financiamento.

SIMULAÇÃO ONLINE

A maioria dos bancos e das financeiras especializadas em realizar empréstimos e financiamentos disponibiliza uma calculadora online nos seus sites para ajudar e tirar algumas dúvidas dos interessados.

A simulação de financiamento pode ser feita pelo computador — ou por meio de um dispositivo móvel — e não há contato direto com nenhum profissional.

O SIMULADOR DE FINANCIAMENTO

Como falamos anteriormente, existem diversas opções de plataformas para você simular um financiamento de imóvel. A Caixa Econômica Federal,  por exemplo, traz um simulador bastante completo em seu site.

Basta informar alguns dados, como o valor do imóvel pretendido, o prazo de pagamento, a localização e a renda bruta familiar, além de algumas informações pessoais para consulta e contato, que a ferramenta já apresenta as possibilidades de financiamento para você.

Como financiamentos são baseados em um parcelamento para a aquisição do imóvel, é fundamental entender que o prazo simulado para pagamento interferirá fortemente no resultado. Quanto menor for o número de parcelas, menor será a incidência de juros. Entretanto, maiores serão as parcelas mensais. Analisar as opções antes de decidir pelo financiamento ideal para você é sempre o caminho mais indicado!

SIMULAÇÃO PRESENCIAL

Mesmo que você vá a uma agência e faça uma simulação presencial, isso não significa necessariamente que você conseguirá a liberação do crédito — isso porque será apenas uma simulação das condições de pagamento, o que não envolve pesquisas mais apuradas sobre o seu perfil de crédito.

No entanto, em comparação com a simulação online, você terá um pouco mais de precisão nas informações. É possível fazer simulações de financiamentos:

  • imobiliários (residencial ou comercial);
  • de carros (particular ou de trabalho);
  • estudantis (no Brasil ou exterior);
  • de abertura de empresa;
  • de viagem.

O QUE É ANÁLISE DE CRÉDITO?

A análise de crédito também pode ser realizada online ou de forma presencial. Sua principal diferença para a simulação de financiamento é que nessa etapa você tem o acompanhamento de um profissional da área — ele vai verificar o que você deseja e o quanto pode pagar, levando em consideração uma série de fatores no processo para, finalmente, liberar o crédito.

Ou seja, a agência deve avaliar o potencial retorno do crédito cedido, bem como os riscos envolvidos na operação, baseando-se nas informações do seu perfil de crédito. Basicamente, essa etapa dirá se você tem direito ao financiamento desejado ou não.

O QUE É LEVADO EM CONSIDERAÇÃO NA ANÁLISE DE CRÉDITO?

Como foi dito antes, vários fatores são estudados na análise de crédito para que um financiamento seja aprovado. Confira agora os principais fatores que indicam a possibilidade de obter um financiamento.

DADOS PESSOAIS

O primeiro passo da análise de crédito é entregar os dados pessoais solicitados pelo corretor ou pelo agente responsável pela verificação. Normalmente, as informações solicitadas são:

  • nome completo;
  • número de RG;
  • número do CPF;
  • data e local de nascimento;
  • nomes completos do pai e da mãe;
  • informações sobre cônjuge e filhos;
  • endereço físico (onde mora);
  • número de telefone;
  • endereço de e-mail;
  • profissão;
  • empresa em que trabalha;
  • informações sobre a renda.

Além disso, a agência deve solicitar alguns contatos que servirão como referência para a confirmação das informações entregues.

HISTÓRICO DE COBRANÇAS

No próximo passo da análise de crédito, a agência faz uma varredura nos sistemas do SPC e Serasa para identificar possíveis pendências no seu nome, como dívidas que estão em aberto e renegociações.

Ter passado por esses bancos de dados negativos não significa que você estará impedido de ter acesso ao financiamento. O problema é quando os registros são frequentes e as renegociações não são respeitadas.

Quanto mais registros você tiver, maiores serão os riscos para a instituição e mais difícil fica de conseguir o financiamento.  Por outro lado, caso você nunca tenha passado por eles, tudo será bem mais fácil.

CONFIRMAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CEDIDAS

Lembra quando falamos das referências solicitadas? Se você passar pela análise de pendências no seu nome, o banco ou a financeira dará início à verificação das informações que você entregou.

Isso inclui ligar para a empresa em que você trabalha para confirmar informações e fazer contato com vizinhos para ter certeza de que você mora onde diz.

CONSULTAS VEICULARES

Algumas empresas, dependendo da compra a ser feita, também podem checar a situação do candidato ao financiamento junto ao departamento de trânsito local — se está com os impostos em dia, se realizou o pagamento do Renavan, entre outras informações.

PERFIL DE CRÉDITO PARA SIMULAÇÃO DE FINANCIAMENTO E ANÁLISE DE CRÉDITO

Se mais uma vez tudo estiver certo, a agência passa a confrontar as informações de quanto você recebe com o valor do bem que deseja financiar para buscar um equilíbrio com relação ao valor e ao número de parcelas — a intenção é adaptar tudo isso ao seu potencial de pagar sem grandes esforços.

Ou seja, a ideia é que o financiamento caiba no seu bolso e que você não precise passar tantos apertos para pagá-lo. Por uma questão de segurança, bancos e financeiras estabelecem um limite no qual o valor da prestação não pode exceder 30% da sua renda total — essa é uma forma de reduzir os riscos de inadimplência.

GARANTIAS OFERECIDAS

Muitos bancos e financeiras exigem garantias de que o financiamento será quitado caso o cliente perca o seu trabalho e deixe de ter renda fixa, por exemplo. Geralmente as garantias dependem do valor financiado, mas pode ser oferecido um imóvel, um veículo, contas de investimento e bens de valor.

DOCUMENTOS PESSOAIS

Se você chegar até essa etapa, é sinal de que foi bem avaliado e conseguiu a liberação do crédito para o financiamento desejado. Agora é só entregar os documentos originais exigidos para a formação do contrato. Veja os principais logo abaixo:

  • RG e CPF (carteira de habilitação com foto também serve);
  • contracheque ou outro documento que comprove a renda;
  • comprovantes de endereço físico (conta de água, energia e telefone originais e pagos servem);
  • documentos que provem a propriedade legal das garantias, se forem exigidas.

Por fim, lembre-se de ler o contrato por inteiro e de só assinar quando não houver nenhuma dúvida a ser esclarecida. Também seja o mais sincero possível para não comprometer a sua imagem e para facilitar a liberação do crédito.

Como você viu ao longo do artigo, a simulação de financiamento  e a análise de crédito têm suas particularidades e uma depende da outra para ajudar o cliente a tomar as melhores decisões.

Na hora de comprar um imóvel, é fundamental simular o financiamento e analisar as opções disponíveis para você. A análise de crédito também ocupa um espaço importante nesse momento, podendo ser a diferença entre uma compra de sucesso e o fracasso da sua empreitada.