Como investir em Imóveis em 2021: 4 tipos de investimento

Em 2020, por conta da crise sanitária de Covid-19, muitas pessoas perceberam a importância de diversificar seus ativos e buscaram uma nova maneira de se investir em imóveis em 2021.

Aquelas que já possuíam, uma carteira de investimentos diversificada, passaram por menores problemas na crise.

Afinal, sua carteira compunha um leque maior de opções e não ficava 100% dependente de algum setor.

Mas como diversificar os seus investimentos?

Como diversificar seus investimentos

Diversificar investimento, no mundo financeiro, significa alocar seu capital em diferentes ativos afim de ganhar mais dinheiro e conseguir mais segurança para a sua carteira.

Por exemplo, imagine que você tivesse uma carteira de investimentos contendo apenas companhia aéreas e hotéis.

Pois é, teria perdido mais de 70% do valor total que você tivesse investido, afinal os valores das empresas do seguimento caíram em mais de 70%!

Antes de tomar uma decisão, a melhor opção é definir as suas características de investidor, quais riscos está disposto a correr e falar com o seu corretor de investimentos (caso tenha um).

1º passo: defina o seu perfil de investidor:

· Conservador;

· Moderado;

· Agressivo,

Após isso, defina quais riscos você está disposto a correr em busca de maiores rentabilidades. Quanto mais agressivo você é, mais retorno você irá ter, porém correrá maiores riscos.

2º passo: após definir o seu perfil de investimento, busque por opções que se adequem a ele.

Busque por investimentos com uma rentabilidade acima da média, caso o seu perfil seja agressivo.

Busque por investimentos com uma rentabilidade na média, caso o seu perfil seja moderado.

E busque por investimentos com uma rentabilidade abaixo da média do mercado, caso o seu perfil seja conservador.

Agora que você já sabe como diversificar sua carteira, vamos falar sobre como investir em imóveis em 2021.

4 opções para investir em imóveis em 2021

1. Alugar o imóvel

Caso você tenha um imóvel próprio, alugar pode ser uma opção desde que você faça as contas certas.

A geração de 90 e 200 estão preferindo, em grande parte, alugar imóveis em vez de investir em um imóvel próprio.

Isso vem acontecendo por dois motivos: a cultura e rentabilidade.

Em relação a cultura, pessoas de gerações anteriores, tinha a ilusão de que um imóvel era a sua “segurança”.

Com o passar do tempo, principalmente pela presença de conteúdos educativos na Internet, pessoas das gerações mais recentes começaram a entender que essa afirmativa não fazia sentido.

E para que fosse realmente uma “segurança”, alguns cálculos deveriam ser feitos, e poucos sabiam como fazê-los.

Já na questão de rentabilidade, que está diretamente ligada a questão cultural, é sobre o retorno que você vai ter futuramente com a valorização do seu imóvel. Onde poucos faziam realmente essa conta no papel.

Enquanto, na maioria das vezes, pessoas investiam em um imóvel por impulso, sem calcular seus retornos, e não percebia que poderia ter maior rentabilidade e liquidez com outros investimentos.

2. Reformar para vender

Quando falamos sobre reformar para vender, é quando você tem um imóvel, mas deseja vender ele, pois está em busca do dinheiro, ou apenas do lucro.

Defina os pontos da sua casa que estão precisando de reformas, como a troca de pisos ou fazer uma nova pintura.

Empresas do ramo de aluguel de caçambas de entulho, disseram para nós, que a demanda por esse tipo de investimento em imóveis aumentou muito em 2021.

Afinal, é um tipo de investimento que você compra mais barato a casa, reforma e vende por mais cara logo em seguida.

Já você que deseja fazer isso em um apartamento, e não em uma casa, é essencial verificar o histórico de pinturas prediais do prédio.

Afinal, o valor de venda não vai só depender da reforma que você fizer internamente, mas também das questões externas de um prédio. Uma pintura recente, valoriza o imóvel na região pelas questões estéticas e pela preservação da estrutura por conta dos compostos da pintura.

3. Investir em fundos imobiliários

Caso você não saiba o que é um fundo imobiliário, vamos te dar um exemplo para entender.

Pense no fundo imobiliário XPML11. Esse fundo possui um gestor por trás que visa aumentar o patrimônio do fundo, consequentemente dos acionistas.

Esse fundo é focado na exploração imobiliária de shopping centers, que com o dinheiro dos investidores, vão em busca de novas oportunidades.

Além de ter um gestor experiente com altas graduações e experiência de mercado financeiro, os fundos te proporcionam maior liquidez na venda dos ativos.

A facilidade de venda de um ativo é muito maior do que a venda de uma casa, por exemplo.

4. Alugar para economizar

O banco só aprova o financiamento de um imóvel, caso o valor das parcelas seja menor do que 30% da sua renda mensal.

Mas, depois de você já estar pagando o financiamento, pode ser que aconteça algum imprevisto financeiro e as parcelas fiquem pesadas. Ou também, mesmo se as parcelas não estiverem pesadas, você pode optar em ganhar mais dinheiro com isso.

Isso significa que, você alugaria o imóvel por um preço maior do que as parcelas. Ou seja, com o dinheiro que renderia, você pegaria uma parte para pagar a parcela, e outra como lucro para você.

É uma excelente opção tanto para aqueles que querem ganhar dinheiro e diversificar sua carteira de investimentos, tanto para aqueles que querem deixar de pagar as altas parcelas com dinheiro próprio.