5 Vantagens de morar em condomínio fechado

Se você já pensou ou está pensando em morar em condomínio, saiba que muita gente tem optado por viver nesse tipo de moradia. E para ajudar você a entender todos os benefícios desse tipo de empreendimento, separei 5 vantagens e benefícios de morar em condomínio fechado confira abaixo:

1. Maior segurança

Sentir-se seguro é algo muito importante, quando está relacionado ao nosso bem estar e a nossa casa. Deixar as crianças brincarem na quadra do condomínio ou ser avisado de que alguém está esperando na portaria é uma tranquilidade que faz parte da rotina de quem opta por viver em condomínio.

2. Áreas de lazer completas

Os condomínios têm áreas de lazer. Esses espaços sempre fizeram parte dos projetos condominiais. Existem condomínios com saunas, piscinas, spas e academias. É possível ter a mesma estrutura de um clube no próprio condomínio. E para quem gosta de festejar, existem os salões de festas. Espaços amplos e agradáveis para quem deseja receber a família e os amigos para um churrasco, por exemplo.

3. Mais privacidade

A privacidade é um direito que faz com que as pessoas optem pelos condomínios. Para começar, uma pessoa estranha só poderá entrar no local se convidada pelo morador e depois de passar pela portaria.

4. Menos barulho

Se você optar viver em condomínio, o seu forte aliado na hora de fazer cumprir o respeito à Lei do Silêncio: o regimento interno. Os moradores que descumprem os acordos internos podem ser multados e, quando não são proprietários, eles podem ser expulsos do local.

5. Manutenção das áreas comuns

Cuidar de um jardim, de uma piscina ou mesmo de um salão de festas dá muito trabalho. Por isso, que em um condomínio essa situação existem profissionais contratados para realizar esses cuidados. A presença de um zelador (a) é fundamental para deixar tudo limpo e organizado.

O sindico também é um ponto importante pois ele assume a obrigação de fiscalizar as manutenções das áreas comuns. 😉✨

Conheça dos riscos de comprar imóvel direto do proprietário

Você pode ficar animado ao ver um anúncio imobiliário com preço acessível, mas comprar um imóvel com o proprietário pode ser um grande erro! Para ajudá-lo a entender a importância desse assunto, listei alguns perigos:

1. O vendedor pode não ser o proprietário

O contrato de compra e venda não é um documento que transfere propriedade. Esse contrato transfere a posse de um bem. Por isso, é importante entender as diferenças para não ter prejuízos.

Para se tornar proprietário de um imóvel, é necessário ter a escritura e fazer o registro da matrícula. Dois procedimentos diferentes, que envolvem custos de cartório.

2. Você pode pagar mais caro pelo imóvel

Outro risco de comprar imóvel com o proprietário é o de adquirir um bem por um preço acima do valor de mercado. Isso ocorre quando o comprador tem pressa em fechar negócio.

O ideal é procurar uma imobiliária para entender qual é o preço do metro quadrado da região onde você deseja morar. Isso o ajudará a escolher a melhor opção de investimento.

3. Existe o risco de comprar um imóvel inadequado

O que o imóvel deve ter para ser ideal para a sua vida? Nem sempre o imóvel comprado diretamente com o consumidor poderá ser a compra ideal, pois essa aquisição ignora esse tipo de análise. Nesse caso, o comprador considera imóvel como uma commodity — e isso não é correto.

Já ao contar com o suporte de um corretor ou de uma imobiliária, você terá acesso a um catálogo de imóveis, podendo refletir antes de fechar negócio.

4. Você pode ter problemas com o proprietário:

Para que uma negociação dessas funcione, é importante que as partes confiem uma na outra. Caso isso não ocorra, e uma delas acredite que está sendo lesada, a venda corre o risco de ser cancelada.

Comprar diretamente com o proprietário é um investimento de alto risco. Sendo assim, evite comprar imóvel com o proprietário e fale agora com sua especialista premium em imóveis! 📲 99612.1507

Uma revolução no crédito imobiliário!

Uma revolução no crédito imobiliário!

A Caixa Econômica Federal, anunciou uma nova modalidade de crédito para compra de imóveis residenciais atrelado ao indicador oficial de inflação o IPCA. A nova linda de financiamento vai oferecer juros entre 2,95% e 4,95% ao ano, dependendo do grau de relacionamento do cliente com o banco, mais o IPCA.
.
Com essa ação o governo pretende baixar os juros e aquecer a economia📈, oferecendo aos consumidores uma linha de crédito mais barata para compra de imóveis acima de R$180 mil.
.
👉A Caixa calcula que a nova modalidade poderá proporcionar uma redução de 35% a 51% nas prestações. Conheça as novas condições de empréstimo:
.
✔ Taxa mínima: IPCA + 2,95% ao ano
✔ Taxa máxima: IPCA 4,95% ao ano
✔ Prazo máximo: 360 meses
✔ Condição de entrada: 20% do valor do imóvel
✔ Quota máxima de financiamento: 80%.
✔ Adesão é opcional e a partir de 26 de agosto.
.
Quer conquistar a casa própria ainda em 2019? Fale com a especialista premium em imóveis! 📲 99612.1507.

Entrevista com Fernanda sobre Grand Soleil

O Edifício Grand Soleil é apaixonante e completo. Pensado em cada detalhe para oferecer estilo, conforto e segurança para sua família, o empreendimento é encantador e repleto de diferenciais que só agregam valor e funcionalidade. Sua localização é em uma área privilegiada na Jatiúca, então, os seus passeios na encantadora orla de Maceió farão parte da sua rotina. Deixe o Grand Soleil iluminar a sua vida! Quer saber mais sobre esse grande empreendimento? Fale com a especialista em imóveis! 📲 99612.1507 @construtorarpontes

IPTU menor para quem protege o meio ambiente

Foi aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) a autorização para que municípios reduzam o valor do IPTU cobrado de contribuintes que adotam ações ambientalmente sustentáveis em seus imóveis. Com o objetivo de inserir critérios de responsabilidade ambiental para diferenciar a cobrança aplicada ao contribuinte que tenha esse compromisso, fazendo assim, um estímulo à conservação dos recursos naturais.

A proposta segue para dois turnos de discussão e votação no Plenário do Senado.

6 Dicas de decoração

Selecionei 6 dicas especiais de decoração para a sala que vão fazer toda a diferença no momento da composição desse ambiente. Confira:

1. Baseie a decoração em uma cor especial:

Escolha uma parede ou um móvel específico para trocar a cor, usando isso como ponto de partida. Lembre-se sempre desse ponto focal para compor o restante da decoração, a fim de buscar a continuidade visual.

2. Recicle o mobiliário:

Se você já tem alguns móveis, não há necessidade de se desfazer deles. Um sofá, por exemplo, pode ser reformado com a simples troca da cor do tecido. Para complementar a transformação, você pode investir em almofadas com estampas diferentes, mas que sigam os tons do móvel.

3. Padronize o estilo dos móveis:

Para a sala de jantar, é fundamental seguir o estilo de decoração do restante da casa. Se os móveis forem arredondados, por exemplo, a mesa deve ir por essa mesma linha. Já se forem quadrados, o corte também precisa ser assim.

4. Use a regra do menos é mais:

Mantenha um espaço considerável para garantir a boa circulação das pessoas. Não adianta incluir no décor uma mesa de jantar com seis cadeiras se as pessoas vão ficar apertadas e desconfortáveis, concorda? O importante é criar um clima aconchegante e agradável.

5. Defina uma paleta de cores:

Para basear sua decoração em uma paleta de cores, busque por objetos e obras de arte que combinem. Os elementos escolhidos para compor o restante da decoração precisam conversar entre si para que o ambiente não fique carregado demais. Bom senso nesse momento é palavra de ordem.

6. Trabalhe bem a iluminação:

Sem dúvida, pensar em uma boa iluminação é uma dica de decoração infalível para a sala. Faça uso de pendentes e luminárias, criando a possibilidade de ter uma iluminação indireta.

Seguindo essas dicas, é possível deixar sua sala mais funcional e visualmente agradável. E nada como poder descansar em seu cantinho, assistindo uma TV ou lendo um livro, não é mesmo? 😉✨

5 Dicas para escolher a cor certa para sua casa

A cor de parede é fundamental para compor a atmosfera da casa. Parece ser apenas um detalhe, mas as matizes influenciam diretamente o bem estar do lar. Então, antes de comprar as latas de tintas, reuni tudo o que você precisa saber para acertar na escolha da cor. Vamos lá?

1. Analise seu espaço

Observe o ambiente que você quer pintar a parede. Quais são os tons dos móveis? E dos objetos de decoração? Isso ajuda a entender a influência das cores na decoração e como combinar com o mobiliário que você já tem.

2. Priorize as cores favoritas

Leve em consideração os gostos pessoais de quem vive na casa. Cada um reage de um jeito aos tons e intensidades.

3. Adeque os efeitos das cores aos ambientes

Você adora vermelho e gostaria que seu quarto tivesse uma parede com essa cor. Tenha em mente que a escolha pode influenciar seu sono, já que cores mais quentes geralmente são estimulantes, enquanto as mais frias acalmam e ajudam a descansar. Se não quer abrir mão da tonalidade, uma alternativa pode ser colocá-la na sala ou escritório.

4. Verifique a iluminação

As cores mudam de “comportamento” de acordo com a iluminação. Isso porque lâmpadas brancas acendem e clareiam tonalidades, enquanto as amarelas podem intensificar e esquentar as cores. Já as coloridas podem mudar totalmente a matiz na parede.

5. Simule a pintura
Os simuladores de cor online são uma mão na roda para visualizar o resultado final. Há sites gratuitos e pagos para testar a cor antes de pintar, como o gratuito Colorjive e de diversas marcas de tintas do mercado.

Se a busca pelo tom ideal ainda deixa com dúvidas, contrate um arquiteto ou designer de interiores.

Saiba o que conferir antes de comprar um imóvel.

Chegou o momento tão esperado: comprar o seu imóvel! Depois de escolher com cuidado o seu corretor, pesquisar opções de imóveis disponíveis e escolher o bairro, vem a dúvida: Será que falta alguma coisa? É muito importante ficar atento nos detalhes como: regras do condomínio e averiguar conservação do imóvel para evitar problemas no futuro.
.
As questões que precisam ser consideradas antes de fechar o negócio variam conforme o perfil da compra, mas podem ser resumidas em três eixos. Confira o levantamento e faça seu próprio check list:

Documentação (Imóvel usado):

Matrícula do bem, onde se verifica seu histórico, quitação e se existe ameaça de alienação. Certificado negativo de ação cível e criminal do vendedor e de seu cônjuge. Idem para o condomínio. Certidão negativa de tributos do imóvel (IPTU). Versão digital está disponível no site da Prefeitura. Certidão negativa de débitos com o condomínio.
Certidão negativa de utilidade pública do imóvel, a fim de evitar desapropriação surpresa, por exemplo. Contrato de compra e venda.
Registro, no cartório de imóveis, do contrato de compra. A transferência da propriedade só ocorre quando passar a constar na matrícula.

Documentação (Imóvel novo):

Memorial descritivo. O documento reúne todas as informações sobre a construção. Convenção do condomínio. Certidão negativa de débitos com o condomínio.

Conservação (Imóvel usado):

Rachaduras e infiltrações, desnível de piso, problemas estruturais: elétrica, hidráulica, chuveiro, torneira e válvulas. Paredes de alvenaria, pisos, portas e janelas

Visitar os imóvel em diferentes horários e saber um pouco sobre sua vizinhaça também é um ponto muito importante antes de obter o seu imóvel. 😀

Boas notícias para o mercado imobiliário!

De acordo com o UOL Economia, “A Caixa Econômica aguarda autorização do Banco Central para anunciar, nas próximas semanas, uma redução de 31,5% dos juros do financiamentos imobiliários.” O que isso quer dizer? Se o reajuste acontecer, os clientes da caixa ou com boa avaliação de crédito na praça pagarão juros menores. Na prática, o juros total sofrerá cortes entre 28% e 31,5% em relação ao modelo vigente. Então não perca a oportunidade, entre em contato com a especialista premium e tire todas as suas dúvidas. 📱 82 99612-1507.